Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Navegar para Cima

Apresentação

Compartilhe

Desde a sua primeira edição, em 1951, a Bienal de São Paulo procura investigar a produção cultural contemporânea a partir do ponto de vista de quem está no Brasil, da nossa forma de inserção no contexto internacional. No entanto, ao contrário de outras grandes mostras, realizadas em cidades de populações locais reduzidas, a nossa exposição atua em uma das maiores metrópoles do mundo e em um país cujo acesso à arte e às possibilidades de transformação que esse encontro permite ainda é bastante restrito.
 
A nossa bienal, portanto, dialoga com a sociedade de uma forma diferente das demais e isso nos impõe desafios e responsabilidades únicas. Essa singularidade exige, principalmente, a criação de estruturas institucionais que sejam autossustentáveis e se aprimorem com as experiências do passado. Exige uma bienal que não parta do zero a cada dois anos, mas que, ao contrário, desenvolva base sólida para um trabalho contínuo, cuja construção institucional tenha no horizonte o aprimoramento da Fundação Bienal de São Paulo enquanto entidade de interesse coletivo comprometida com a arte e a formação do público.
 
Percorrido um primeiro período de recomposição e retomada de valores, procuramos aprofundar esse movimento rumo a uma preparação para o futuro. A Fundação Bienal de São Paulo conta atualmente com um novo modelo administrativo plenamente profissionalizado que permite maior autonomia financeira e gestão mais eficiente. Há dois anos temos o privilégio de promover um projeto educativo permanente, cuja atuação vem ampliando o campo da interlocução das pessoas com as obras, gerando diálogos entre os integrantes da equipe e o público.
 
A ideia de permanente interlocução é também o ponto de partida da 30ª Bienal – A iminência das poéticas. Procurando instaurar-se como uma plataforma de encontro para a diversidade das poéticas, a exposição pretende ser um evento capaz de produzir constelações de obras e artistas que conversam entre si. De um intenso diálogo entre curadoria e artistas convidados teremos uma bienal composta por um grande número de obras inéditas ou comissionadas especialmente para exposição.
 
A celebração da 30ª Bienal conta com suporte decisivo do Ministério da Cultura e da Prefeitura de São Paulo, o engajamento de patrocinadores como Itaú, Oi, AES Eletropaulo, Mercedes-Benz e Gerdau, entre outras empresas, e valiosas parcerias culturais com o SESC São Paulo e a FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado. Essa rede de apoio é um reconhecimento não apenas do papel catalisador que a Bienal de São Paulo exerce no desenvolvimento social do país, mas, acima de tudo, fruto do entendimento coletivo sobre a importância de seu fortalecimento institucional.


Heitor Martins
Presidente da Fundação Bienal São Paulo



TRIGÉSIMA
BIENAL DE SÃO PAULO
A IMINÊNCIA DAS POÉTICAS

7 DE SETEMBRO - 9 DE DEZEMBRO 2012
PARQUE DO IBIRAPUERA, PAVILHÃO DA BIENAL
SÃO PAULO
ENTRADA GRATUITA

HORÁRIO DE VISITAÇÃO
TER, QUI, SÁB, DOM E FERIADOS
DAS 9 ÀS 19H - ENTRADA ATÉ 18h
QUA E SEX DAS 9 ÀS 22H - ENTRADA ATÉ 21H
FECHADO ÀS SEGUNDAS
Logon